Ford Cargo e seu trem-de-força

ford-cargo-atacama

Conjunto mecânico motor, câmbio e tecnologia embarcada colocam os novos modelos extrapesados da Ford em um patamar de caminhões premium, porém, com preço de modelos de entrada

De todos os lançamentos realizados este ano, o que mais nos surpreendeu foi o dos Ford Cargo 2042 e 2842, pois a fabricante, além de começar um novo estágio na sua família de produtos, ela está entregando ao mercado um trem-de-força além do que era esperado.

Os novos Ford Cargo chegam para competir em uma faixa de mercado chamada de extrapesado por algumas marcas, mas que podemos chamar de entrada no segmento de caminhões acima de 47 toneladas de PBT.

Como a Ford inova? Ao oferecer o câmbio automatizado ZF AS Tronic de série, controle de tração, controle eletrônico de estabilidade (opcional  no modelo 6x2) e um motor moderno FTP 10,3 litros com potência que outros fabricantes só oferecem e cilindrada maior. Esse conjunto tecnológico não é oferecido por nenhum concorrente. O controle de tração e o controle eletrônico de estabilidade, por exemplo, a Iveco não oferece nem em seu Stralis premium, o Hi-Way, e a MAN está atrasada em ofertar ao mercado o câmbio automatizado em sua linha Constellation. Portanto, podemos dizer que a Ford entrega caminhões  com preço de extrapesado de entrada, mas com trem-de-força premium. O Ford Cargo 2042 tem preço de tabela de R$ 260 900, e o modelo 2842, de R$ 294 900. O VW Constellation 19.390, bem menos equipado e menos potente, está sendo vendido por R$ 278 450, segundo a tabela Fipe, e o Constellation 25.390, por R$ 296 900.

Motor Cursor 10

Mas voltamos com o tema Ford Cargo nesta edição para mostrar um pouco mais do seu motor que é totalmente inédito no Brasil. Muitos perguntam por que não Cummins, tradicional fornecedora de motores para a Ford? Segundo Guilherme Campos, supervisor de Engenharia da Ford, de todas as opções do mercado que testaram, a que melhor atendeu às necessidades da Ford na América Latina e na Europa foi o motor da FPT.

No Brasil, a Ford terá exclusividade no uso desse motor em caminhões. A Iveco irá usá-lo em seus futuros ônibus rodoviários. Na Europa, esse motor foi lançado em 2007 e já tem 90 mil unidades em circulação em caminhões, ônibus, máquinas agrícolas, geradores de energia e colheitadeiras.

 O motor FPT de 10,3 litros traz algumas inovações para poder oferecer alta potência e durabilidade ao mesmo tempo, tudo com menor cilindrada, portanto, mais leve e mais compacto, o que pode significar menor consumo de combustível.

Conforme o diretor de engenharia da FPT, Helton Lage, essas inovações estão no uso do turbo VGT (de geometria variável e matérias mais resistentes e mais leves, como parafusos de titânio que suportam temperatura de até 750 graus Celsius e a carcaça do volante do motor feito de alumínio.

01 novo motor

Segundo Lage, a FPT também priorizou técnicas consagradas como o uso de quatro válvulas por cilindro, unidades injetoras de alta pressão e único eixo de comando no cabeçote.  “Esse motor foi submetido a severos testes de durabilidade, que atestaram a completa integridade ao final de 1 milhão de quilômetros ininterruptos. “

Especificado pela Ford para ter 420 cv de potência, o motor 10,3 litros da FPT pode ter de 380 cv até 460 cv, dependendo do tipo de calibração e acessórios como a turbina. Isso deixa margens para imaginar que as portas estão abertas para, futuramente, a Ford lançar novas versões, como  Cargo 2046 e Cargo 2846.  

Fonte: Revista Transporte Mundial