O cliente em primeiro lugar

guy

Entrevista com o Diretor de Operações da Ford Caminhões

Guy Rodriguez nasceu na Argentina, mas tem uma relação forte com o Brasil. Ele fala, aqui, sobre suas propostas e metas ao assumir a diretoria de Operações de Caminhões da Ford América do Sul.

Qual a sua experiência na Ford?

Estou na Ford há 21 anos e já trabalhei na Argentina, Brasil, Estados Unidos e Canadá, principalmente nas áreas de Estratégia
e Planejamento de Produto, Marketing e Vendas. Até então, era diretor de Vendas e Marketing da Argentina.

 

Qual a sua relação com o Brasil?

Trabalhei no Brasil em dois períodos, de 2000 a 2001 e depois de 2005 a 2007 como diretor de Estratégia de Produto. E tenho uma filha brasileira, a Bárbara, de 8 anos.

Como se sente dirigindo a operação da Ford Caminhões na América do Sul?

Tenho o privilégio de me juntar à
Ford Caminhões, que é um time vencedor, neste momento importante. Participei do planejamento da nova cabine da linha Cargo e dos motores Euro 5 na área de Estratégia de Produto. Gosto de trabalhar com caminhões e picapes porque são ferramentas de trabalho, em que podemos ajudar o cliente a tirar o máximo proveito para o seu negócio.

Que metas a marca vai perseguir agora?

Temos como filosofia duas premissas: o cliente é o número 1 e temos de ser os melhores em tudo o que fazemos. E vamos trabalhar com três metas para ser umaunidade de negócios cada vez mais forte: desenvolver ao máximo o negócio
de caminhões no Brasil, incluindo todas as áreas da Rede de Distribuidores, como serviços, consórcioe veículos usados; crescer
na América do Sul, que tem 50% do seu mercado fora do Brasil; e transformar a Ford Caminhões no Brasil em uma companhia global, junto com a Turquia e a China, onde atuamos com a JMC.

O que o mercado
 pode esperar da Ford Caminhões daqui para frente?

Temos uma marca forte e um ciclo de produto muito bom, tanto agora como para os próximos anos. Vamos trabalhar cada vez mais para a satisfação dos clientes e lançar veículos globais, com robustez, confiabilidade e a qualidade Ford, com mais tecnologia e mais design.

Para finalizar, para que país vai torcer na Copa do mundo?

Vou torcer para o Brasil, junto com a minha filha... se a Argentina não chegar lá. Tenho a sorte de poder torcer por dois times com chance de ser campeão.

 

Fonte: Revista CONEXÃO - Setembro/ 2013