Gigantes na dirigibilidade

A tansmissão automatizada ASTronic oferece trocas automáticas ou manuais, selector inteligente, modo de manobra e controle automático de velocidade

extra6 Fáceis e seguros de dirigir, os novos Ford Cargo Extrapesados vêm com uma moderna transmissão automatizada que dispensa o acionamento da embreagem. Além de reduzir sensivelmente
 o cansaço do motorista, ela conta com uma série de recursos que aumentam a economia e segurança nas viagens.

Produzida pela ZF com uma tecnologia aprimorada há mais de 10 anos na Europa, a transmissão ASTronic tem 12 marchas à frente, uma à ré e é considerada a mais avançada do mercado. Por usar sempre as marchas na rotação
 certa, traz um ganho considerável na economia
 de diesel. “É como ter o seu melhor motorista 
dirigindo todos os caminhões da frota”, explica
 Salvador Mangano, gerente de Engenharia de
Produto da ZF.

Trocas inteligentes

O equipamento permite trocas automáticas ou manuais. No modo automático, a troca é feita pela central eletrônica. No modo manual, basta um toque para frente ou para trás na alavanca tipo “joystrick”.

transmissao

 

O sistema conta com o Seletor Inteligente (S), que busca automaticamente a melhor marcha para a condição de rodagem do veículo, sem sair do modo manual. Numa subida, por exemplo, ele seleciona a marcha ideal para otimizar a tração e o consumo de combustível. Numa descida, engata a marcha indicada para reduzir a velocidade e auxiliar na frenagem.

Outro recurso é o modo de manobra, que mantém uma velocidade extremamente lenta e ajuda a estacionar a carreta em espaços reduzidos, evitando trancos e trepidações. Ele pode ser selecionado para frente (DM) ou à ré (RM), no botão ao lado da alavanca. O controle automático de velocidade mantém o veículo em velocidade constante em percursos rodoviários sem que o motorista precise pisar no acelerador e ajuda a economizar combustível.

Durabilidade

A ASTronic é uma transmissão robusta, com várias vantagens em relação à mecânica convencional. “Como não utiliza mecanismos de sincronização, que são os itens de maior desgaste, tem uma durabilidade maior”, explica Mangano. “Além disso, a vida útil da embreagem é significativamente maior, havendo casos em que passa de 1 milhão de quilômetros.” 

Fonte: Revista Conexão