O que evitar nas estradas

Separamos algumas coisas que devem ficar de fora da vida do motorista nos trechos percorridos diariamente

2842

O amigo caminhoneiro que se prepara para ir à estrada pensa em diversos aspectos, como a rota, a quantidade de combustível que será consumido e, principalmente, em sua segurança. Porém, é interessante destacar que existem outros itens que o motorista  NÃO  deve levar com ele para estrada.

Separamos cinco deles para você ficar atento.

1)Excesso de peso

Neste caso, a legislação da Lei da Balança é uma grande aliada para o excesso de peso, uma vez que estabeleceu que a tolerância máxima de 5% sobre os limites do PBT estaria relacionada com a precisão da aferição das balanças rodoviárias, que na época eram mecânicas. Com o passar do tempo, a maioria dos transportadores criou o mau hábito de aumentar o peso da carga baseado nessa margem e, apesar do excesso de peso por eixo  não resultar em multa, ele pode ocasionar acidentes. Fique ligado para o peso não ser excedido.

2) Sonolência

Uma das grandes vilãs que contribui para deixar as rodovias mais perigosas pode ser evitada com alguns cuidados, como fazer refeições mais leves durante a viagem; não ingerir bebidas alcoólicas ou remédios que atrapalhem na condução do veículo; fazer paradas a cada duas horas para descanso; viajar com alguém para fazer revezamento da direção e evitar viajar no período noturno.

3) Cansaço

Para aqueles que dirigem por diversas horas seguidas, saibam: o cansaço provoca rebaixamento do estado de consciência, e a partir desse momento o motorista passa a dirigir de maneira automática e sem segurança. Assim, por mais que a necessidade de entregar a carga no horário seja grande, estar com o corpo descansado deve ser prioridade.

4) Rebite

A substância, chamada de anfetamina, é um estimulante do sistema nervoso central e faz com que o cérebro trabalhe mais rápido e cause no motorista a impressão de redução de fadiga, de menos sono, perda de apetite e aumento da capacidade física e mental. Porém,  o consumo deve ser suspenso, uma vez que alguns  dos reais efeitos são: perda parcial dos reflexos, dilatação das pupilas, dor de cabeça, tontura, aumento de batimento cardíaco e de pressão arterial, nariz e boca ressecados, inquietação motora, sensações de pânico, visão desfocada, confusão de pensamento, etc.

5) Álcool

O consumo de álcool antes de dirigir é perigoso tanto para o motorista quanto para outros usuários das rodovias. Ele reduz a habilidade de se antecipar às más condições do trânsito, prejudica a capacidade de julgamento de situações e induz o motorista a desrespeitar as normas de trânsito, sem considerar suas consequências. A desculpa de que consumiu em pequena quantidade também não diminui os danos, pois segundo especialistas, o risco continua a existir.

Fonte: www.brasilcaminhoneiro.com.br