Atenção e atitude do motorista para um trânsito mais seguro

Ford 0134 Dirigir, segundo o dicionário Aurélio, significa guiar (um veículo), ir em alguma direção, a algum lugar; encaminhar-se. Simples, não? Do ponto de vista prático, da mecânica, da direção talvez possamos dizer que sim. Usar a embreagem, os freios, trocar de marcha pode ser de fácil aprendizado. O que torna tudo isso complexo é conviver e manter-se atento no ambiente em que isso deve ser feito, ou seja, no trânsito. Compartilhar esse ambiente com outras pessoas, dividir esse espaço e garantir sua segurança dentro dele não é uma tarefa simples.

A segurança no trânsito sofre influência principalmente do fator humano. Por  exemplo, um erro na avaliação da probabilidade do acidente, a desatenção, o cansaço, o consumo de álcool ou drogas, excesso de velocidade, desrespeito à distância minima entre veículos, ultrapassagem indevida, etc.

Dentre essas falhas na ação do conductor, podemos apontar como uma das principais as falhas ligadas à desatenção. Apesar de considerar a mais frequente, é pouco enfatizada. Os alertas são mais constantes para as questões de excesso de velocidade, uso de álcool ao volante e falta de uso do cinto de segurança. Contudo, ao contrário do que muitos de nós pensamos, as falhas acontecem principalmente por falta de atenção.

Comumente, os motoristas têm pensamentos tais como “está tudo sob controle”, “comigo não vai acontecer” e “já sou experiente no trânsito”. O excesso de confiança leva o conductor a descuidar da atenção. Esse otimismo irreal faz com que o motorista desconsidere o fato de que o trânsito é sempre novo e que por isso é preciso estar constantemente atento.

Por mais que ele conheça a rota, as situações que ela poderá oferecer nunca serão as mesmas. Ou seja, o animal que não cruzou a pista ontem, pode cruzá-la hoje, a frenagem súbita do veículo da frente que não existiu ontem, poderá ser uma realidade hoje, o cellular que não tocou ontem poderá tocar e assim por diante. Para que o motorista tenha condições de reagir adequada e seguramente frente a essas situações é de extrema importância que sua atenção esteja preservada.

Lembrando que o maior responsável pela conservação da atenção é o próprio motorista. Ele que precisa utilizar os conhecimentos que possui e colocá-los em prática. Ou seja, não apenas saber que é proibido o uso de celulares ao dirigir, mas realmente não atendê-lo. Nao utilizar substâncias como álcool e drogas que reduzem a capacidade de manter-se atento. Focar sua atenção no ato de conduzir e não dividi-la com outras atividades enquanto dirige.

São nossas atitudes que constroem o mundo e o trânsito. Portanto, é indispensável que a escolha do seu comportamento ao dirigir seja feita de forma responsável. São essas “pequenas grandes” atitudes do conductor que farão a diferença na segurança no trânsito.

A sua atitude como motorista é o fator-chave para a segurança nas vias.

Fonte: Revista Transporte Mundial N° 133