Baixa Visibilidade

 

neblina A falta de visibilidade provocada pela neblina deve ser levada em consideração pelos condutores durante o período de inverno. Especialistas em acidentes acreditam que nesta época do ano há um aumento significativo no número de colisões, por isso orientam os motoristas a redobrarem a atenção e seguir as recomendações de segurança.

Uma das causas mais perigosas de colisões no trânsito ou em vias rápidas é o engavetamento, geralmente provocado por erro ou imprudência de um ou mais motoristas. A presença de neblina amplia esse risco, portanto é preciso adotar um comportamento preventivo e aumentar o grau de atenção mental e visual ao dirigir.

O uso de faróis altos pode prejudicar ainda mais a visibilidade neste caso, sendo o ideal dispor de autênticos faróis de neblina, pois, sua altura máxima de 30 cm acima da pista oferece maior eficácia se comparado ao farol baixo, que deve ser utilizado sempre, principalmente nesta situação. Assim, antes de sair para uma viagem é prudente fazer uma inspeção do sistema elétrico do caminhão (faróis, lanternas e luz de freio) e manter as faixas refletivas em bom estado de conservação, porque proporcionam maior visibilidade do veículo. 


A assessoria da Artesp ressalta que em situações de neblina o motorista pode deixar a janela aberta - ainda que parcialmente - e ficar atento a sinais sonoros externos que possam indicar uma situação atípica à sua frente (como buzinas e som de colisão). A audição, nesse caso, serve como complemento da visão, prejudicada pela névoa. Ao manter a janela aberta, o motorista evita também que os vidros embacem. Porém reforça que, tanto nas situações de neblina quanto nas de queimadas, se o motorista julgar que não há condições de visibilidade para prosseguir a viagem com segurança, o ideal é estacionar em um local seguro e esperar as condições da pista melhorarem.

Fonte: www.ocarreteiro.com.br